30 setembro 2017

Street Fighter V é um jogo incompleto atualmente?


Vamos para um pouco de polêmica hoje?

Acredito que todos já sabem que o lançamento de Street Fighter V foi um tanto problemático. A impressão que deu é que o jogo veio "capado", sem muitas opções para se jogar offline, se preocupando APENAS no online e com "poucos" personagens no lançamento.

O pessoal ficou com uma péssima impressão do jogo, o que afetou as suas vendas, mesmo ele indo bem na cena competitiva (para desgosto dos haters de plantão). Isso sem falar, lógico, em certas reclamações como:


  • Falta do modo arcade (e eu assumo que até hoje sinto falta);
  • Falta de mais modos offline (e nesse ponto, ok, estou mal acostumada com o BlazBlue);
  • Falta de personagens clássicos (mesmo tendo, inicialmente DOZE clássicos);
  • O modo História Geral sendo liberado após o lançamento;
  • Modo crossplay (desculpe, quem reclama disso, tem problema);
  • O sistema do Fight Money (no sentido do pessoal preferir a forma antiga, ou seja, você PAGANDO pelas DLC's com dinheiro real).

Claro, tiveram outras reclamações nesse tempo, mas que não irei listar aqui (algumas bem pertinentes até).

Porém, vamos agora analisar o estado atual do jogo.

A Capcom desde a fase de produção do jogo, tinha avisado que iria atualizá-lo constantemente, dispondo de novos conteúdos e personagens, fazendo com que, no final das contas o SF V de 2016, seja bem diferente da versão de 2017. E bem, ou mal, a Capcom tem cumprido com a palavra dela, ainda com a garantia que não iria lançar uma versão Super/Hiper/Ultra do jogo em um curto estado de tempo.

Hoje Street Fighter V tem:


  • Modo História: Que diferente de alguns jogos, como KOF XIV e Arcana Heart 3, é um modo história propriamente dito (lembrando, embora não com o mesmo peso o de BlazBlue) e não um modo arcade com historinha. Semelhante a BlazBlue, SF V possui um modo história individual, com cada personagem e um geral, contando o enredo central do jogo. E claro, terminando cada um deles, você recebe FM;
  • Tutorial: Que abre automaticamente quando você instala o jogo, ensinando o básico. Ele também está disponível no menu de História;
  • Modo Versus: que dispensa apresentações;
  • Survival: O modo sobrevivência de SF V, ainda tem um pouquinho de "time attack", fazendo com que o jogador ganhe mais pontos ao terminar mais rápido uma luta. E além disso, temos quatro dificuldades (Fácil, Normal, Difícil e Inferno). Finalizando os modos, você ganha FM (e quanto mais a dificuldade, mais FM você ganha);
  • Desafios: Além das Provas a se fazer com cada personagem, existindo duas etapas até o momento, existe também as Demonstrações (e ao assistir todas você ganha FM) e Missões semanais que valem FM;
  • Modo Treino: Com a possibilidade de você deixar ligada a opção do sistema procurar um oponente on-line enquanto você treina;
  • Modo On-line: Com crossplay, Saguão de Batalha, Ranked Match, Casual Match, com a possibilidade de guardar replays e, sistema de punição para os fujões (onde o sistema filtra quem curte fazer rage quit). E ainda o jogador consegue pegar FM nas lutas;

Além disso tudo, as DLC's do jogo, excetuando aquelas que são puro fanservice (como o traje "hot" do Ryu ou uma das roupas de banho da Chun-Li), TODOS os DLC's de SF V podem ser pegos gratuitamente, usando o sistema de FM, lembrando aqueles jogos que, para você liberar determinado conteúdo, só depois de algumas horas de jogo. Inclusive, algumas cores dos trajes extras (aqueles que são pegos com dinheiro real), você pode liberar com o FM. Isso sem falar nos novos personagens, que foram uma boa adição ao elenco (e, destaco aqui dois que eu gostei muito, Ed e Menat).

Biscoitinha Menat e Ed, meus queridinhos dessa nova leva! 
Agora, me diga, tem como considerar Street Fighter V como "incompleto" atualmente, tendo todos esses modos de jogo e ainda com a possibilidade do jogador pegar conteúdo extra relevante, sem gastar nenhum centavo do bolso?

Legion Mode em BlazBlue: Calamity Trigger
Claro, ele poderia ter algum modo extra, como criação de personagens (assumo, ADORO isso em Soul Calibur) ou o Legion Mode de BlazBlue? Sim!!! Eu gostaria de ver algo do tipo em SF! Mas a falta desses modos não prejudica o jogo num todo.

Street Fighter V hoje possui praticamente os mesmos modos de jogo de outras franquias, com a diferença de não possuir um modo arcade clássico. Agora, justamente por não possuir esse modo de jogo, devemos afirmar que ele ainda é "capado"? Então é justo eu afirmar que KOF, ou Arcana Heart 3, são capados por não possuírem um modo história clássico e sim um modo arcade com história?

E se os rumores se confirmarem, e o modo arcade sair no ano que vem? Irão reclamar que não tem o Shao Khan ou o Knuckles como chefe?

Se não tiver esses dois, vai ser uma porcaria, digna de jogar uma bomba na Capcom!
Eu não estou querendo dizer que SF V é um jogo perfeito, sem erros. Quem acompanha o meu trabalho aqui, sabe muito bem que eu costumo chamar a Capcom de "nossa empresa troll favorita". Mas tem um certo limite entre você fazer críticas que, de fato ajudam o jogo melhorar, e ficar fazendo haterismo puro e simples que caem por terra, quando se joga um pouco o jogo. Nesse ponto é bem mais sincero afirmar que você não gosta da franquia em si, ou do estilo adotado, do sistema de jogo...

Tanto que, tem horas que é difícil eu ler uma crítica válida e construtiva (como melhorar netcode e etc), de tanta reclamação hater sem fundamento. E nisso, essas últimas, só atrapalham.

E eu assumo, está sendo delicioso ver algumas pessoas que reclamaram dos pontos positivos de SF V, estarem CHORANDO porque eles não estão em Marvel vs Capcom Infinite.

THIS IS DELICIOUS!!!!
E vocês o que acham disso tudo? Será que você é daquele time que realmente tem uma reclamação séria pra fazer ou é daqueles que ainda estão presos ao lançamento de SF V?

Obs: Agradeço ao Arthur Dias (já que no momento que escrevi não tinha como eu abrir o meu SF V) e ao Juninho Rodrigues, do Lugar de Nerd pela piada do Shao Khan & Knuckles.

29 setembro 2017

Vídeo de X-Kira sobre o modo Arcade de SF V


Como disse anteriormente (aqui e aqui), X-Kira, tinha divulgado algumas informações sobre o possível modo Arcade de SF V.

Ontem, em seu canal do YouTube, ele publicou um vídeo dando mais detalhes de como seria esse modo arcade. Veja o vídeo logo abaixo:


Seguindo o que está no vídeo podemos deduzir que:

  • Teremos dois estágios de bônus, sendo um deles com participação do nosso querido e controverso gigante "Vrum vrum" Abigail e outro com barris (particularmente, ODEIO o bonus stage do barril, sério);
  • Teremos 14 batalhas no modo arcade, divididas entre personagens de SF Zero, SF II, SF III e os chefes. E talvez, assim como ocorre com SF III, o jogador poderá escolher que personagem enfrentar, conforme o seu avanço;
  • No que se refere aos chefes, nós temos os quatro Reis originais da Shadaloo (ou seja, Bison/Balrog, Balrog/Vega, Sagat e Vega/Bison), o chefe final (Necalli) e o verdadeiro chefão (que acredito eu, vocês já saibam quem é).

Além disso, é provável que ao jogar o Arcade Mode, o jogador ganhará Fight Money como, por exemplo, ocorre no Survival.

Agora um comentário meu:

Se tem algo que volta e meia converso com o Rudah (um dos colaboradores do Fighters) e com o Luiz Fernando (do Streetfighter.com.br) é como, a nível de história, Sagat se encaixaria novamente como "boss". Visto que, conforme vimos até em SF V, Sagat não faz mais parte da Shadaloo, tendo o seu posto assumido por F.A.N.G.

E falando no personagem, aparentemente, F.A.N.G. possui um cenário próprio que ainda não foi lançado, que também é a imagem de fundo dele no site japonês do jogo (como o Rudah bem me lembrou).


Mas, como eu gosto de lembrar SEMPRE, isso são apenas RUMORES, por mais que eu reconheça que o X-Kira tenha acertado bastante coisa em suas pesquisas.

Então meus queridos, o jeito é continuar aguardando uma posição oficial da Capcom. 

E caso queiram acompanhar o trabalho do X-Kira, é só segui-lo no Twitter.


Capcom Fighting All-Stars, o jogo que nunca saiu

Esse artigo foi publicado originalmente no Fighters (que está sendo reformulado) em 21 de agosto de 2016.


A Capcom revelou em agosto do ano passado, informações sobre um jogo que começou a ser produzido nos anos 2000, com direito a beta testers, mas, que foi cancelado. Ele mesclava personagens de Street Fighter, Final Fight e Rival Schools. Esse jogo era nada mais que Capcom Fighting All-Stars: Code Holder.


Até o momento, o que se sabia era o que foi divulgado na época. Os personagens presentes no jogo seriam Ryu, Chun-Li, Charlie Nash e Alex, da franquia Street Fighter, Mike Haggar e Poison, de Final Fight, Strider Hiryu de Strider, além dos novatos, D.D., Rook e Ingrid.






A história se passaria em Metro City, com o prefeito Mike Haggar recendo a ligação de um homem chamado Death, que implanta uma bomba em Metro City, apelidada de Laughter Sun, dizendo que a única maneira de desarma-la seria indo atrás dos detentores dos códigos D.D. (Ogre), Rook (Fallen Angel) e Ingrid (Isis).

O jogo ainda teria duas ideias originais. A primeira seria um “break” durante as partidas, mostrando o que ocorre entre as lutas. A segunda era um movimento de finalização no último round, algo semelhante com o que ocorre na série Mortal Kombat.

Apesar das ideias originais, o jogo não passou nos beta testers e foi cancelado. Porém, algo do jogo se manteve presente, nesse caso, a personagem Ingrid, que foi reaproveitada no Capcom Fighting Jam (que ninguém gosta de lembrar) e em Street Fighter Alpha 3 Max, como uma personagem extra, não canônica. Mas, há de se ressaltar que a história dela ficou bem diferente do que era proposto inicialmente em Capcom Fighting All-Stars.

Agora, depois de mais de 10 anos, a Capcom revela algumas informações sobre o finado jogo, incluindo imagens inéditas e fichas dos personagens exclusivos. Veja algumas imagens promocionais reveladas abaixo:




Além disso, outra novidade, é que teríamos o personagem Akuma de Street Fighter e Demitri Maximoof da série Darkstalkers, como podemos ver a seguir.



E falando em personagens, a Capcom divulgou também imagens e informações relacionadas aos exclusivos do jogo, D.D., Rook, Ingrid e Death, apresentando finalmente o design do último. Além de revelar cenas da abertura e fazer algumas ilustrações inéditas, seguindo o estilo da enciclopédia de Street Fighter V.

Cenas da abertura:




Outras imagens:



Tela de seleção com dois espaços vazios. Provavelmente seria os espaços de Akuma e Demitri. 
Com as novas informações, terminamos descobrindo um pouco sobre os personagens inéditos do jogo.

D.D. na verdade se chama Daisuke Dejima e que possui genes peculariares que foram despertos por uma misteriosa organização, tornando-se assim um "CODE HOLDER". Com isso, ele junto com os seus compaheiros Rook e Ingrid, podem parar o desastre que está para acontecer em Metro City. Ele possui o apelido de Crimson Thunder e é capaz de destruir qualquer coisa com os punhos. Seu emblema é The Goddess of Thunder / Fierce God e seu código é o Ogre.




Rook (conhecido atualmente como Luke), assim como D.D., teve seus genes peculiares despertos por uma misteriosa organização e se tornou um “CODE HOLDER”. Possui uma personalidade legal, não é de falar muito e sempre trabalha em conjunto com D.D. Possui o emblema Fallen Angel.




Já Ingrid, é uma misteriosa garota que possui algum tipo de ligação profunda com Death (e um lado negro talvez, conforme algumas ilustrações) e assim como Rook e D.D. é uma “CODE HOLDER”. Seu brazão, localizado na cabeça, é o Eternal Godess.





Ingrid, no final de Street Fighter Alpha 3 Max
Ingrid em Street Fighter Alpha 3 Max
Um possível lado negro?

Quanto a Death, o que sabemos até o momento é que: ele aparentemente derrotou a Mad Gear, implantou a bomba em Metro City, possui alguma relação com Ingrid e que seu nome verdadeiro é Avel.

Ele não lembra o Alucard da série Castlevania?

Além disso, a Capcom publicou a lista de comandos de cada um dos personagens, incluindo os movimentos de finalização. Repare na “facilidade” do movimento de Ingrid.


E você reclamando do Shun Goku Satsu...


Devido ao material que foi divulgado, podemos deduzir que o estilo do jogo lembraria o que foi visto na série Maximum Impact de KOF. Mas nunca saberemos se ele teria um desempenho melhor e se seria mais querido do que o jogo que o "substituiu", Capcom Fighting Jam.



O que levou a Capcom, depois de tanto tempo revelar mais detalhes sobre o CFAS, não sabemos. Porém, foi uma surpresa interessante, que pegou muitos fãs de surpresa.

Agora resta saber se a Capcom pretende utilizar esses personagens, além de Ingrid, com o storyline proposto inicialmente, em algum jogo futuro, até mesmo em Street Fighter V, mesmo que seja de forma não canônica. O jeito é aguardar, afinal, não custa nada torcer.


Fonte: CFN Portal

28 setembro 2017

Diesel lança linha de tênis de Street Fighter nos EUA

Se você é aquele fã que curte comprar também itens de vestuário de sua franquia favorita, esse produto foi pensado em você!

A Diesel, nos EUA, lançou uma linha de tênis inspirada nos personagens de Street Fighter V. O produto é uma edição limitada e conta com os tênis dos personagens Ryu, Chun-Li, Nash, Birdie e Vega/M.Bison.

Veja algumas das imagens de divulgação do produto:






Por curiosidade, enviei um e-mail para a filial brasileira, perguntando se eles pretendem lançar o produto aqui no Brasil. Assim que obtiver a resposta, irei publicar.


Fonte: Página oficial do Facebook de Street Fighter
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Comentários